Perguntas frequentes

1. Qual é a melhor empilhadeira?


Não existe a “melhor empilhadeira”, existe a empilhadeira mais adequada para sua aplicação e as menos adequadas.




2. Quais são os combustíveis utilizados em empilhadeiras?


Os tipos mais comuns de combustível para empilhadeiras são:

Gás GLP (Gás Liquefeito de Petróleo)

Diesel

Eletricidade




3. Qual empilhadeira tem o menor consumo de combustível?


Se for observado apenas o gasto em R$ por hora trabalhada, sem levar em conta o custo de aquisição e manutenção, os combustíveis mais econômicos são, na ordem do mais econômico para o menos:

1. Eletricidade

2. Diesel

3. GLP




4. Devo comprar empilhadeira elétrica ou à combustão?


Depende da sua aplicação.

Deve-se levar em conta as vantagens e desvantagens de cada tipo.

A eletricidade é a fonte de energia mais econômica, no entanto as empilhadeiras elétricas podem ser mais caras na aquisição e ter manutenção mais cara e complexa dependendo do caso.

Uma bateria convencional de chumbo ácido precisa obrigatoriamente ser recarregada quando o nível de carga cai a um determinado ponto, o processo de carga é lento e não deve ser interrompido. Isso pode causar transtornos em certas aplicações, por exemplo se só tem uma empilhadeira e uma bateria que está sendo carregada e aparece uma necessidade urgente do uso da empilhadeira.

Com relação às manutenções, as empilhadeiras elétricas são mais complexas e podem trazer custos mais altos e transtornos. Além disso as empilhadeiras elétricas dos tipos patolada e retrátil tem restrições sobre os pisos, que devem ser planos e lisos. Por outro lado, existem aplicações como em indústrias alimentícias e farmacêuticas nas quais apenas empilhadeiras elétricas podem ser utilizadas devido à emissão ZERO de poluentes.

As empilhadeiras à combustão são versáteis, estão sempre disponíveis, sem precisar do processo de carga de bateria, encaram pisos com algumas irregularidades e rampas mais inclinadas. A manutenção é quase sempre mais simples, com peças mais baratas e encontram-se mais mecânicos qualificados para os consertos.




5. Devo comprar uma empilhadeira movida a GLP ou Diesel?


Empilhadeiras à diesel são mais econômicas no consumo de combustível. No entanto elas têm limitações para uso em ambientes fechados. Elas devem ser usadas apenas em pátios abertos. Por isso as empilhadeiras GLP são mais comuns. Além disso, o custo de aquisição de uma empilhadeira diesel é normalmente mais alto. O motor a diesel é mais durável, mas quando é necessário reformar, o custo é mais caro.




6. É melhor comprar uma empilhadeira nova ou usada?


A empilhadeira usada é mais barata que a nova por motivos óbvios, ela terá custos de manutenção mais altos e eventualmente maiores custos de operação e produtividade menor.

No entanto deve-se levar em conta que o custo de manutenção é diretamente proporcional ao uso. Se o uso for pouco, esse custo será baixo tornando a empilhadeira usada uma excelente opção.

Quem pretende utilizar a empilhadeira por menos de 2 horas por dia ou cerca de 500 horas por ano (horas reais de uso, pelo horímetro do equipamento) deve considerar seriamente a compra de uma usada. Quem vai usar mais de 5 horas por dia ou cerca de 1.500 horas por ano deve considerar a compra de uma nova.

Quem está no meio termo pode considerar a compra de uma nova ou uma usada - desde que em muito bom estado.

Além da intensidade do uso, a disponibilidade de recursos ou o a vontade de dispor desses recursos para a compra de uma empilhadeira nova também é fundamental na decisão sobre a compra de uma empilhadeira nova ou usada.

Algumas empresas às vezes tem os recursos, mas a aplicação requer poucas horas de uso, nesse caso a empresa pode escolher pela compra de um equipamento usado. Por outro lado, a empresa pode precisar do equipamento para muitas horas de trabalho por dia, mas não ter os recursos necessários para a compra de uma nova. Nesse caso deve-se redobrar a atenção na procura do equipamento usado para encontrar a melhor opção possível no mercado com os recursos disponíveis.




7. Devo comprar uma empilhadeira com torre duplex ou triplex?


A torre duplex é o tipo mais simples formado por dois pares de trilhos. Pouco depois de iniciado o movimento de subida dos garfos, a altura total da torre começa a aumentar, pois o par de trilhos internos começa a “sair” para cima. Portanto não é possível usar uma empilhadeira com essa torre para empilhar paletes dentro de um container. Por outro lado, as torres duplex são mais leves que as triplex e não “roubam” capacidade da empilhadeira. São mais baratas e de manutenção mais simples.

A torre triplex utiliza três pares de trilhos, dois pares móveis e um par externo estacionário. No primeiro estágio da elevação o carro e os garfos são elevados SEM mexer na altura total da torre ou seja, tem uma grande elevação livre. Por isso é possível colocar um palete em cima de outro dentro de um container por exemplo. Além disso as torres triplex atingem elevações maiores e quando estão com os garfos abaixados ficam com uma altura menor que as torres duplex.

Veja matéria completa no nosso site https://www.liftcom.com.br/post/torre-duplex-ou-torre-triplex




8. Para que serve o deslocador lateral de garfos?


O deslocador lateral é um dispositivo que movimenta conjuntamente os garfos para a esquerda ou para direita e posicionam os garfos no lugar ideal para elevar uma carga sem necessidade de fazer uma manobra ré-frente para reposicionar a empilhadeira.




9. Vale a pena comprar uma empilhadeira com deslocador lateral?


Depende da aplicação. O deslocador lateral reduz o número de manobras para posicionar a empilhadeira. Em aplicações por exemplo com uso intensivo da empilhadeira por muitas horas com cargas que exigem uma posição específica dos garfos, o deslocador lateral pode aumentar muito a produtividade. Em aplicações com pouco tempo de uso por dia e/ou que não exigem posicionamento estrito dos garfos o ganho de produtividade não é tão relevante.

As empilhadeiras mais antigas normalmente não tinham deslocador lateral. Praticamente todas as mais recentes já saem de fábrica com esse dispositivo. Empilhadeiras com deslocador lateral são mais caras.




10. Qual empilhadeira é melhor, com transmissão mecânica ou automática?


As empilhadeiras com transmissão mecânica são mais antigas, mas existem muitos entusiastas desse tipo de transmissão em função de suas vantagens:

- Manutenção simples e econômica

- Maior durabilidade

- Proporcionam maior torque para vencer rampas e rebocar cargas

Por outro lado, elas requerem o uso de embreagem para mudar de marcha o que torna a operação mais lenta e cansativa para o operador.

De muitos anos para cá praticamente só se fabricam empilhadeiras com transmissão automática. As vantagens são:

- Cansam muito menos o operador

- Operação mais rápida e eficiente




11. Quais os cuidados que se deve ter ao comprar uma empilhadeira usada?


Ao comprar uma empilhadeira usada é fundamental verificar os itens abaixo, muitos dos quais tem que ser vistos durante a inspeção do equipamento:

- Se a empilhadeira é adequada a futura aplicação

- Idoneidade do fornecedor

- Como será feita posteriormente a manutenção

- Estado de motor e transmissão

- Estado da bateria tracionaria (no caso de empilhadeira elétrica)

- Freios

- Sistema Hidráulico

- Sistema Elétrico

- Pintura

- Pneus

- Garfos

Veja em nosso site a matéria completa sobre esse assunto: https://www.liftcom.com.br/post/como-comprar-uma-empilhadeira-usada




12. Qual o melhor pneu, maciço ou pneumático?


Os pneus maciços não furam e não murcham, em compensação são mais caros e quando utilizados em pisos irregulares transmitem muito mais vibração para a empilhadeira. Assim eles causam desconforto para o operador e manutenção maior para a máquina.

Os pneus pneumáticos absorvem parte das irregularidades do piso amortecendo os impactos, e são mais baratos, no entanto podem furar e precisam de calibragem (a pressão de pneu de empilhadeira é mais alta que a de automóveis).




13. Como dimensionar corretamente a capacidade da empilhadeira?


Leve em consideração:

- o peso da carga

- a distância do centro de gravidade da carga até a face externa dos garfos

E escolha a empilhadeira certa.

A capacidade das empilhadeiras normalmente é expressa considerando o centro de gravidade da carga distante até 500 mm da face externa dos garfos. Se a distância for maior do que essa, a capacidade da empilhadeira será menor.

Além disso, deve se levar em conta que nem sempre a capacidade real da empilhadeira é igual a nominal. Por exemplo, quando se fala em uma empilhadeira de 2,5 ton, normalmente essa referência é a capacidade nominal, que pode ser igual a capacidade real se a torre for duplex e não tiver deslocador lateral. No caso de uma torre triplex mais pesada que a duplex, tiver deslocador lateral (principalmente os externos, não integrais) ou a elevação for muito alta, essa capacidade poderá diminuir para 2,0, 1,8 ton ou até menos.




14. Como calcular a largura do corredor para operação de uma empilhadeira?


Em resumo, a largura do corredor operacional (“L”) é a soma dos 4 fatores:

L = R + X + c + a

Onde:

L = Largura do corredor operacional

R = Raio de giro externo

X = Distância entre a face dos garfos e o eixo dianteiro (ou Balanço Dianteiro)

c = Comprimento da carga (ou dos garfos, o que for maior)

a = folga

Leia a matéria completa em nosso site: https://www.liftcom.com.br/post/c%C3%A1lculo-da-largura-do-corredor-para-operar-empilhadeira